Veneza é uma cidade, acima de tudo, romântica,  com seus canais, gôndolas e suas ruelas fáceis de se perder. Aliás, perder-se é a principal atividade para quem está passeando pela cidade, mas é claro que, tendo a chance, não custa nada ficar atento a alguns pontos turísticos.

Para quem caiu de paraquedas por aqui, essa viagem pela Itália teve início em Pisa e passou por Florença até chegar, de trem, em Veneza.

Não deixe de ler: Turismo na Itália – Informações Gerais.A nossa experiência, infelizmente, foi de muita chuva, frio e vento. E dá para aproveitar nessas condições? Sim, sempre, mas as pausas para comer foram mais constantes do que imaginávamos que seriam e acabamos desistindo do passeio de gôndola. Mas calma, agora eu conto como aproveitar Veneza, faça chuva ou faça sol.

Dia 01: 

Começamos o dia um pouco mais tarde, pois já era noite quando nosso trem chegou em Veneza, ainda no dia anterior, e aproveitamos para descansar. Com a chuva que caía, optamos por começar o passeio pegando um Vaporetto. 

Por ser uma cidade onde as estradas são os canais, não é de espantar que os serviços oferecidos sejam de barcos, então os vaporettos são como os ônibus públicos, um transporte que cruza pontos importantes, com todo o charme de Veneza.

A Linha 1 do Vaporetto percorre todo o Grand Canal, a artéria viária que vai da estação ferroviária à Piazza San Marco e é essa linha que você deve pegar, pois passa por vários pontos de interesse da cidade, como o Ca’D’Oro, a Ponte Rialto, a Ponte dos Suspiros, o Ca’Pesaro, a Academia de Belas Artes e, é claro, a Piazza San Marco. O bilhete custa €7,00 por pessoa e o trajeto todo leva em torno de 60 minutos. Nós não descemos em nenhum ponto, simplesmente fizemos todo o itinerário, mas é possível descer e seguir a pé o roteiro.

Veneza

Veneza
Basílica de Santa Maria della Salute
P1140364
Ponte dos Suspiros

A parte boa de pegar o Vaporetto, além de ter uma noção geral da cidade, é que parte dele é fechado e coberto, então protege da chuva e do vento gelado, ou do sol, caso seja verão.

P1140376
Na parte coberta do barco
P1140359
Chegando na Piazza San Marco, com a torre do Campanário ao fundo

Aproveitamos o resto do dia almoçando perto do hotel, com muito macarrão, vinho e gelato de sobremesa e demos mais uma circulada pelo comércio da região. Sim, esse dia foi bem devagar mesmo, até porque, no inverno, os dias são muito curtos.

Mas no melhor estilo faça o que eu digo e não o que eu faço e, imaginando condições meteorológicas normais, a melhor dica que posso dar é: Desça do vaporetto no ponto San Marco Vallaresso para conhecer de uma só vez três das principais atrações da cidade – a Praça São Marcos, o Palácio Ducal e a Basílica de São Marcos.

Veneza
Palácio Ducal
Veneza
Praça São Marcos

Esses três pontos nós acabamos visitando no dia seguinte, com exceção do Palácio Ducal, que não chegamos a visitar por dentro. O Palácio Ducal é a antiga residência do Doge (como eram conhecidos os governantes de Veneza), que também era sede administrativa da cidade e prisão. Sua visita interna leva algumas horas, podendo tomar um turno inteiro.

A Basílica de São Marcos é outra atração da praça. Seu exterior estava em reforma na época, coberto por tapumes, por isso não cheguei a fotografar o todo do prédio, apenas alguns detalhes. Vale bastante a visita ao seu interior, pois é belíssimo, com muitos mosaicos. Infelizmente não é permitido fotografar seu interior. A entrada na basílica é grátis, mas quem quiser entrar no museu precisa pagar €5,00.

P1140472
Mosaicos na fachada da Basílica de São Marcos

Ainda na Praça, você pode visitar o Campanário, considerado o prédio mais alto de Veneza, com 98.5 metros de altura. Subindo até o alto do Campanário, é possível avistar toda a praça e o canal.

Saindo da Praça São Marcos, aproveite o resto do dia para se perder pelas ruas de Veneza. Não tem coisa melhor! A cidade é linda, cheia de lojinhas, cafés e restaurantes. E, para fechar com chave de ouro, faça um passeio de gôndola pelos estreitos canais. O passeio, com duração de 40 minutos, costuma custar entre €80,00 e €100,00.

Veneza
Passeio de Gôndola
Veneza
Canais de Veneza
Veneza
Canais de Veneza

Dia 02:

O segundo dia pode começar pela região da Ponte Rialto, aonde está o Mercado de Rialto, considerado por muitos o coração de Veneza. É aonde são vendidos peixes, frutas e legumes. O lugar é sempre agitado, entre turistas curiosos e locais em busca dos ingredientes para a próxima refeição.

Quando estiver satisfeito com suas compras, siga para o Campo San Giacometto, um antigo ponto comercial, e visite a Igreja de San Giacomo, com entrada gratuita.

Termine o dia pelo bairro de Dorsoduro, circulando pela ruelas e canais estreitos até encontrar o Campo Santa Margherita, ponto ideal para uma pausa, e o suntuoso Ca’Rezzonico, com sua coleção de arte contando a história da Veneza do século VXIII.

Dia 03:

No nosso terceiro dia em Veneza, partimos cedo rumo a Roma, mas se eu tivesse a chance, ainda acrescentaria um terceiro dia de passeio. Caso você consiga, aproveite e vá até as ilhas vizinhas de Veneza. São elas: Murano, Burano e Torcello.

É possível conhecer Murano, Burano e Torcello em um dia?

Sim! Saindo de Veneza, em 30 minutos chega-se em Murano. De Murano a Burano, mas 30 minutos. Finalizando, de Burano a Torcello são apenas 10 minutos de viagem. Pelo que pesquisei, 04 horas são suficientes para conhecer Murano e Burano. Já em Torcello, em uma hora conhece-se tudo.

Como circular pelas ilhas?

De barco-táxi, vaporetto ou contratando o passeio em alguma agência. O barco-táxi custa €115,00 (ida) de Veneza a Burano ou a Murano ou a Torcello. No vaporetto, o bilhete com validade de 24 horas custa €20,00. Algumas agências de viagem oferecem o passeio pelas 3 ilhas por €20,00. Pelo que li, as agências que fazem esse passeio ficam concentradas na região da Praça São Marcos.

Se você optar pelo vaporetto, deve ir até a estação San Zaccaria, perto da Praça São Marcos, aonde você vai pegar a linha 4.1 em direção a Murano.

Murano:

É a mais conhecida das três ilhas em função dos famosos vidros de Murano. A principal atração turística, como era de se esperar, são os vidros e as fábricas de vidros. Também vale a pena conferir a Basílica dei Santi Maria e Donato e o Museo del Vetro.

Burano:

De Murano para Burano você deve pegar o vaporetto 12, na estação Faro. Fique atento, pois a estação Faro não é a mesma que você desceu quando chegou de Veneza. Burano é conhecida por causa de suas rendas e suas casas super coloridas.

burano-colors-reflected-on-the-water
Burano. Imagem: isoladiburano.it

Torcello:

Para ir de Burano até Torcelo você deve pegar a linha T do vaporetto. Torcello é hoje uma ilha em ruínas. Ela já foi uma metrópole bizantina com mais de 20 mil habitantes, porém, depois de sucessivas epidemias de malária, foi abandonada e praticamente parou no tempo. Tem um ar bucólico e é um paraíso de sossego atualmente. Pontos para visitar: Ponte do DiaboCatedral de Santa Maria dell’AssuntaMuseo Provinciale di Torcello.