Depois de passarmos dois dias pela capital da Romênia, Bucareste, seguimos para Brasov, considerada a porta de entrada para a Transilvânia.

Brasov (pronuncia-se algo como Brashov) localiza-se no meio dos Montes Cárpatos e possui cerca de 290 mil habitantes. Apesar do número de habitantes, caminhar pelo centro antigo é como circular em uma pequena cidade com ares medievais. Não é para menos, Brasov foi fundada por volta de 1211 e era toda fortificada.

É possível conhecê-la em um dia de passeio bem aproveitado. Nós optamos por ficar na cidade por três noites, fazendo dela a base para conhecermos outros lugares próximos. Recomendo essa opção, pois as distâncias são curtas entre as cidades que visitamos, então valeu bastante a pena ficar hospedado no mesmo lugar por esse dias e não precisar fazer e desfazer a mala diariamente.

Como chegar em Brasov? 

Existem várias formas de chegar a Brasov a partir de Bucareste. Muitos turistas optam por alugar um carro para circular com maior liberdade pelo país, outros optam pelo transporte público. Nós escolhemos a segunda opção e pegamos um trem até Brasov. Para chegarmos até a estação de trem, a Gara de Nord, pegamos o metrô e descemos na estação de mesmo nome. O metrô já é interligado com a estação de trem. Compramos o trem para Brasov no primeiro horário disponível, que foi o trem das 8:22. A viagem dura cerca de duas horas e meia, portanto chegamos em Brasov a tempo para o almoço. O bilhete de Bucareste até Brasov custou 49 Lei por pessoa, em novembro de 2017.

Todas as estações tem o nome da cidade, então é possível saber se você chegou ou não ao seu destino; além disso, no bilhete tem o horário de chegada, então dá para ter uma ideia pelo relógio também.

Quem quiser saber mais sobre como comprar os bilhetes de trem e acessar o site da empresa de trem para saber horários e tal, pode entrar no post que fiz com informações gerais sobre a Romênia.

Uma dica importante, na segunda-feira todas as atrações, como museus e igrejas, estão fechadas. Sempre é bom conferir no site oficial de cada atração o horário e dias de funcionamento.

Piata Sfatului: 

É a praça central da cidade e um bom lugar para começar seu roteiro por Brasov, pois desse ponto é possível seguir para todas as outras atrações da cidade. É ali onde fica a Prefeitura da cidade, bem no meio da praça, que hoje em dia abriga o Museu Municipal Histórico e conta a história da cidade, exibindo também alguns achados arqueológicos encontrados nessa região. Como era segunda-feira, o museu estava fechado, mas o clima da praça já foi uma boa experiência, com crianças brincando, jovens sentados nos bancos, cafés e muitas lojinhas em prédios coloridos.

Brasov 2
Piata Sfatului
Brasov 3
Piata Sfatului
Brasov 4
Piata Sfatului

Biserica Neagra:

Basílica Negra fica muito próximo da praça central. Construída entre 1385 e 1477, a igreja ganhou o nome que tem hoje após um grande incêndio, que enegreceu as paredes da construção. É possível visitar o seu interior, porém não se pode fotografar. O principal destaque dessa igreja são as tapeçarias feitas na Turquia, que estão em exibição ao longo dos corredores.  A atração também estava fechada no dia que estivemos lá.

 

Turnul Negru e Turnul Alb: 

Após o almoço, seguimos caminhando pela cidade e fomos até a Torre Negra e a Torre Branca. Para chegarmos a elas, sobe-se colina acima. Construídas em 1494, ambas com quatro andares. Como ficam numa pequena colina, dali se tem uma excelente vista de Brasov, especialmente do centro histórico.

 

 

Brasov 13

Descendo a colina já nos deparamos com outro ponto turístico, o Bastionul Graft, uma construção de 1521.

Brasov .jpg
Bastionul Graft

Seguimos caminhando por este lado da cidade, subindo novamente colina acima, mas dessa vez até a Cetatuia Brasvului, ou Citadela de Brasov. A Citadela também estava fechada, mas esta honestamente não sei dizer se era por ser segunda-feira ou se está em restauração, pois encontrei comentários de outros turistas que foram até lá e também se depararam com a atração fechada.

Brasov 16
Citadela de Brasov

Como tínhamos mais dias pela cidade, voltamos para o hotel e de lá só saímos para jantar, mas honestamente é possível colocar ainda o outro lado da cidade no mesmo dia de passeio, especialmente se for um dia de verão, que escurece mais tarde. Não era o nosso caso, pois viajar para a Romênia em novembro significa ter os dias encurtados e anoitecendo às 17:00 horas.

Então agora sigo pelo outro lado da cidade, que conhecemos dois dias depois, ao voltarmos das cidades de Bran e Rasnov.

Caminhamos ao longo da base do Monte Tampa, o morro aonde está o letreiro em estilo Hollywoodiano escrito Brasov. É possível subir esse monte e ir até o letreiro. Inclusive há um teleférico que leva até lá em cima. Não sei se estava em funcionamento nessa época do ano.

Circular por essa região permite acompanhar parte da muralha e das torres que faziam parte da fortificação da cidade. O caminho leva até o Bastionul Fierarilor, ou Bastião dos Ferreiros.

 

Strada Sforii: 

Voltando para o hotel, esbarramos ainda com a Strada Sforii, considerada a rua mais estreita da Romênia. Alguns, chegam a dizer que é a mais estreita da Europa, mas eu tenho minhas dúvidas, pois vi uma ruazinha ainda mais estreita em Amsterdam.

Brasov 22
Strada Sforii

Nosso roteiro completo pela Romênia ficou assim:

Dia 01Bucareste.

Dia 02: Bucareste.

Dia 03: Brasov.

Dia 04: Sinaia.

Dia 05: Bran e Rasnov.

Dia 06: Sighisoara.

Dia 07: Hunedoara.

Dia 08: Sibiu.

Dia 09: Retorno para Bucareste e vôo de volta para Dublin.