Para mim era inaceitável não conhecer Atenas na minha primeira viagem a Grécia. Independentemente de onde eu estivesse, este passeio era obrigatório.

A questão é que a gente estava longe de Atenas, então vocês já podem imaginar a função que foi chegar lá!

Levantar cedo, fazer check out no hotel, pegar um ônibus (não sem antes achar que a gente o tinha perdido e, consequentemente, não chegaria a tempo para o ferry), chegar na rodoviária e comprar o ticket para Atenas, esperar por uma hora até o ônibus partir e nos levar até o ferry, sair da ilha, pegar o ônibus mais uma vez, agora até a rodoviária de Atenas.

Quando era uma da tarde, o ônibus simplesmente parou e o motorista desceu. Aparentemente era uma parada para almoço em um restaurante de beira de estrada. Fui até o motorista perguntar quanto tempo ficaríamos por lá. Quem disse que o motorista falava inglês?

Após o almoço começamos a esperar o momento em que ônibus passaria pelo Canal de Corinto. Queria muito uma foto do canal, pois acho a sua história muito interessante. Ele foi construído no final do século XIX, tornando possível a locomoção de pequenas embarcações e evitando que estas tivessem que contornar os 400km em torno do Peloponeso. Eu sabia que seria um canal estreito, pois já tinha visto em fotos na internet, mas não imaginava tanto. Ele tem pouco mais de 6km de extensão e 21 metros de largura. É tão estreito que cargueiros internacionais não conseguem atravessá-lo.

Com a câmera a postos, esta foi a imagem que eu consegui. Foi muito rápido porque eu não sabia quando passaríamos pelo canal e o ônibus devia estar a uns 60km/hr.

Chegamos em Atenas no final do dia e ainda tínhamos que procurar por um hotel. Estávamos muito cansados, mas ainda deu para dar uma caminhada em torno da Acrópole, que fica linda à noite, após jantarmos em um restaurante de área central. Aproveitei para dar uma espiada nas lojinhas de souvenir.

Não deixe de ler os outros posts sobre a Grécia:

Anúncios