Por que não devemos acumular coisas?

Acho que a decoração de um ambiente reflete muito a personalidade da pessoa que vive na casa. Muitas vezes a própria falta de decoração pode significar uma fase conturbada.

Passei um longo período apaixonada por ambientes mais girlie, cheio de detalhes, rendas, corações e flores. Hoje posso dizer que já passei dessa fase. Se hoje eu fosse decorar a minha casa, seria diferente. Sempre fiquei dividida entre o rústico e o cottage. Acho que hoje estou ainda numa nova fase, nem tão cottage, nem tão rústica.  O apartamento de hoje mostra um pouco essa minha nova fase, assim como o apartamento do post anterior. Eu não estou negando tudo o que foi mostrado aqui no blog. Pelo contrário, eu gosto, mas acho que estou num momento em que excessos devem ser cortados, pois tudo que é demais cansa.

Uma das coisas que aprendi nesses meses morando fora do Brasil é que não devemos acumular coisas. Além de ficar um atrolho, ainda temos que carregar todo esse peso conosco. Sinceramente, não precisamos nem da metade das coisas que temos. Roupas e mais roupas, para quê? Eu, por exemplo, uso uniforme de segunda à sexta no meu trabalho. No Brasil era a mesma coisa, uniforme. Livros e mais livros, CDs, filmes, eletrodomésticos que prometem solucionar todos os problemas da sua vida. Tudo isso para quê?

Apartamentos cada vez menores. Móveis planejados para ocupar cada centímetro da casa. E-readers que podem carregar toda a sua biblioteca e mais um pouco, e cabem dentro de uma gaveta. Carros que cabem em qualquer vaga, são mais econômicos e menos poluentes. Iphones, Ipads e sei lá mais o quê podem carregar todas as suas músicas e cabem no bolso da sua calça. HDs externos que cabem todos os filmes da sua vida. Tudo isso, teoricamente, deveria estar associado com uma mudança no pensamento das pessoas. Acumular menos. Então por que que, em geral, eu não vejo essa mudança?

Não sei, status talvez. Seja qual for o motivo de cada um, eu estou mudando meu pensamento. Tenho lá minhas recordações de viagem, das quais não pretendo me desfazer, mas aprendi que tudo o que precisamos de mais importante deve entrar dentro de uma mala, e nós devemos conseguir carregá-la sem pedir ajuda para mais ninguém. São as nossas coisas e, portanto, nós devemos carregá-las. Ninguém tem a obrigação de carregar o nosso fardo.

Espero que tenham gostado.

Beijos e até a próxima

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s