Quando eu penso em um piso com ladrilho hidráulico, logo me vem à cabeça a imagem de antigos casarões do século XIX, com grandes lustres suspensos. Não sei se é por esta imagem ou se é simplesmente pela beleza visual deste acabamento, mas há tempos que eu o adoro e sonho em tê-lo na minha casa, nem que seja em alguns pequenos detalhes.

Afinal, qual a origem do ladrilho hidráulico?

Pesquisando um pouco pela internet, descobri que seu surgimento é mais antigo do que eu imaginava. De origem bizantina, esse piso foi difundido na França, Itália, Espanha e Bélgica com o surgimento do cimento Portland, em 1824, quando passou a ser usado para decorar as mansões da nobreza. Presença constante em palácios europeus no século XIX, o ladrilho hidráulico foi moda por aqui na época da imigração italiana nos anos 20.

Como instalar e manter o ladrilho hidráulico sempre bonito?

Embora pedreiros possam fazer o assentamento dos ladrilhos, o mais indicado é optar por instaladores experientes. Além disso, o instalador deve ter prática de nivelamento, já que as peças artesanais são produzidas com espessuras que variam de 1,6 a 2 cm (os ladrilhos feitos para parede têm cerca de 1 cm, porque precisam ser mais leves). As diferenças precisam ser compensadas na quantidade de massa colante para o produto ficar bem nivelado, e que o ideal é utilizar cimento branco estrutural no assentamento e impermeabilizar o contrapiso, evitando manchas provenientes da umidade do solo. Por se tratar de uma peça porosa, todo cuidado é pouco na hora do assentamento. Caso contrário, o ladrilho pode sujar e ficar manchado. O ideal é encerar cada peça antes de ser colocada, vale lembrar que a instalação dispensa rejunte porque sua dilatação é muito pequena, ao contrário da cerâmica.

Dois dias após a colocação, aplicam- se três camadas de resina acrílica própria para ladrilhos hidráulicos, com oito horas de intervalo entre uma e outra, para impermeabilizá-lo e protegê- lo contra manchas. Já no dia-a-dia, pode-se lavar o piso com sabão neutro e água ou passar um pano úmido seguido de cera líquida incolor (uma vez por semana ou a cada 15 dias, se for um piso de pouco tráfego) para dar brilho e preservar a resina. Esta, no entanto, deve ser reaplicada depois de um a três anos, dependendo do uso, se for diário ou não. Quanto a riscos, é preciso tomar cuidado ao arrastar móveis muito pesados ou de ferro. No entanto, a peça riscada pode ser restaurada com um polimento feito com máquina apropriada, segundo os fabricantes.

Como usar o ladrilho hidráulico?

Sendo criativo, cozinhas, banheiros, salas de jantar, salas de visitas e outros espaços ganham um toque de personalidade quando recebem os ladrilhos artesanais.

Eu vejo uma forte tendência a associar este tipo de acabamento com ambientes mais rústicos, junto com móveis em madeira de demolição e paredes com tijolo à vista. Apesar de achar muito charmosa esta combinação, acho que o uso deste produto artesanal não precisa estar restrito a espaços rústicos.

Uma maneira de usá-lo é fazendo um tapete com uma combinação deste material. O resultado fica muito bonito e acaba saindo mais em conta do que colocar em todo o ambiente.

Outra maneira é associar o ladrilho hidráulico com o piso em cimento queimado.

A sua disposição pode variar também, formando diferentes desenhos. Brincando um pouco mais com formas e cores, o resultado pode ser um patchwork de ladrilhos, esteja este no chão ou na parede.

Deixo também dois vídeos da Doma Arquitetura explicando mais um pouco sobre este material!

Fonte das imagens: